Argentinos conquistam espaço no entretenimento brasileiro

0

Representantes argentinos marcam presença no mundo do entretenimento do Brasil, em uma prova de integração cultural entre Brasil e Argentina, seja na televisão, no cinema ou no teatro.

Por Miguel Arcanjo Prado, do UOL

Neste mês em que a Argentina celebrou no último dia 9 de julho os 201 anos de sua independência, o Blog do Arcanjo do UOL apresenta hermanos que conquistaram seu espaço por aqui.

Nomes como Paola Carosella, Juan Manuel Tellategui e Fernando Meligeni são alguns dos muitos argentinos que demonstram com suas trajetórias que a união entre os países vizinhos dá bons frutos, como também Jean Pierre Noher, Michel Noher e Mario José Paz.

Chef portenha faz sucesso na TV e em seus restaurantes

Se os brasileiros já se acostumaram a ver na telona do cinema o astro argentino Ricardo Darín, já se habituaram também a ouvir na TV o charmoso sotaque portenho da chef Paola Carosella, de 44 anos.

Nascida em Buenos Aires, ela é a única jurada mulher do reality de sucesso “MasterChef”, na Band, emissora também dirigida por um argentino, o produtor de TV Diego Guebel.

Paola começou a carreira em renomados restaurantes de Buenos Aires e se mudou para São Paulo em 2001, quando veio dirigir a cozinha de um dos mais estrelados estabelecimentos da capital paulista.

Desde então, abriu suas próprias casas e é dona do Arturito e do La Guapa, especializada nas famosas empanadas de seu país.

Em 2014, virou celebridade nacional ao entrar para o “MasterChef”.

“Eu acredito na coerência: respeito às nossas raízes, ao lugar, ao clima, ao momento”, diz a argentina de sucesso no Brasil.

Ator argentino está na TV, cinema e teatro do Brasil

Outro com presença cada vez maior no Brasil é o ator argentino Juan Manuel Tellategui, 36 anos, nascido em Zárate, Província de Buenos Aires.

Vindo da capital argentina para São Paulo em 2011, ele estreou na TV brasileira no começo deste ano na série da Warner “Manual para se Defender de Aliens, Ninjas e Zumbis”, de André Moraes. Ele ainda estará na série “Toda Forma de Amor”, de Bruno Barreto, que o Canal Brasil estreia em 2018.

Atualmente, Tellategui está nos palcos como o vilão Stanley, na peça “Enquanto as Crianças Dormem”, de Dan Rosseto, em cartaz até 27 de julho no Teatro Aliança Francesa, na capital paulista, às quartas e quintas, 20h30, com entrada a R$ 50 e R$ 25.

“Como imigrante argentino, me parece que essa característica faz com que também eu possa contribuir com parte da minha cultura para estabelecer este diálogo latino-americano, que deve existir e fortalecer-se cada vez mais”, fala Tellategui.

Ele também marca presença em nosso cinema: ele atua em “Apto 420”, filme do cineasta paraibano Dellani Lima com pré-estreia mundial no próximo domingo (30), às 19h, no CineSesc, no 12º Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo.

Em Buenos Aires, está nos cinemas no filme argentino “Puto”, de Pablo Oliverio, do qual é protagonista — Tellategui já esteve em longas argentinos premiados como “Pompeya”, de Tamae Garateguy, e “Las Pistas”, de Sebastián Lingiardi. E em 2018 estará no longa “30 Anos Blues”, dos cineastas paulistanos Andradina Azevedo e Dida Andrade, que já levaram o Kikito no Festival de Gramado de melhor direção por “A Bruta Flor do Querer”.

“A possibilidade de fazer tantos trabalhos artísticos no Brasil me deixa muito feliz, porque de alguma maneira me sinto representante da minha cultura em um diálogo latino-americano com artistas brasileiros”, aponta o ator argentino.

Comentarista da ESPN é exemplo de integração entre Brasil e Argentina

Já Fernando Meligeni, 46 anos, é, ele próprio, um exemplo da integração entre Argentina e Brasil. Ex-tenista, trabalha como comentarista do canal esportivo ESPN — que também tem outro argentino na equipe, o ex-jogador de futebol e atual comentarista Juan Pablo Sorín.

Fernando nasceu em Buenos Aires e veio para São Paulo ainda criança com seus pais, sendo mais tarde naturalizado brasileiro, país pelo qual sempre competiu nas quadras. Na TV, foi revelado como apresentador pela extinta MTV Brasil em 2002, no “MTV Sports”. Em 2005, apresentou na TV Cultura o programa “De Fininho”.

“Sobre integrar Brasil e Argentina, eu acho uma coisa normal, os países são muito parecidos, tanto nas dificuldades quanto no lado cultural. Temos muito a aprender um com o outro. Na hora que colocarmos essas duas culturas juntas, tudo só melhora”, afirma Meligeni, que já chegou ao posto de 25º melhor tenista no ranking mundial e foi semifinalista no célebre torneio de Rolland Garros.

Para Meligeni, a rivalidade “é uma bobeira que nos distancia” inventada por “três a cinco jornalistas e suas frases chavões”.

Morador da Vila Madalena, bairro que foi centro da torcida na Copa, o comentarista lamentou ver brasileiros brigando com argentinos por conta do futebol. “As pessoas discutiam sem nem saber o porquê”, lembra.

“Os brasileiros sempre foram conhecidos no mundo por acolher bem os estrangeiros, não pode ser diferente com o argentino. Sou a favor de aproveitarmos o que tem de melhor no brasileiro e no argentino. Tem coisas legais nos dois países, vale muito a pena juntarmos forças, seja no mundo do entretenimento ou na vida”, aposta.

Outros hermanos

Além de São Paulo, os argentinos também marcam presença no showbiz no Rio.

O ator Mario José Paz, 65 anos, nascido em Rosário e morador de Búzios, no Rio, há mais de 30 anos, é um dos pioneiros na integração.

Atualmente, ele que já participou de filmes argentinos como “Coração de Leão”, “Viúvas” e “O Mistério da Felicidade”, atuou ainda em longas brasileiros como “Se Eu Fosse Você” e “Divã a 2” — no qual atuou também seu conterrâneo Juan Manuel Tellategui. Atualmente, comanda o Festival de Cinema de Búzios, além de ter atuado na novela “Viver a Vida”.

Outro que emenda trabalhos no Brasil é o franco-argentino Jean Pierre Noher, de 61 anos. Ele esteve recentemente na novela “Sol Nascente” e fez ainda “Avenida Brasil”, “A Favorita” e “Babilônia”, entre outros folhetins globais. Atualmente, apresenta o programa “Cone Sul”, que exibe filmes latinos no Canal Brasil.

Ele é pai do portenho Michel Noher, de 34 anos, que tem feito trabalhos no Brasil, como a novela “Sete Vidas”, na Globo, e a série “O Negócio”, no canal pago HBO.