Saiba onde provar arepas, patacones, suco de lulo e outras receitas colombianas

0

Um país banhado por Atlântico e Pacífico, que abriga parte da Amazônia e dos Andes, tem à mesa sabores tão diversos e coloridos quanto seus cenários.

Arroz, feijão, milho, carnes e batatas. Ingredientes que nos são familiares aparecem em cumbucas de sopa e pratos fartos.

Na semana passada, por conta da premiação do “50 Best América Latina”, que elege os 50 melhores restaurantes da região, cozinheiros e comensais olharam para Bogotá, onde ocorreu a cerimônia. Por isso, reunimos locais para provar esses sabores, caso o apetite tenha sido despertado.

*

Sabores de Mi Tierra
Nascida como uma fábrica de arepas, há quatro anos, a casa é especializada em comida rápida da Colômbia. As arepas, discos feitos de canjica, são cortadas na metade e recheadas com costelinha suína, ovos mexidos com tomate e cebolinha, linguiça, frango desfiado ou ceviche cartagenero (de camarão) e podem custar de R$ 10 a R$ 18,50. O patacón (de banana verde frita) também é base para essas coberturas (R$ 10 a R$ 18,50). Aos domingos, eles fazem almoços com pratos fartos como bandeja paisa, com arroz, feijão, carne bovina, chorizo, banana, abacate e ovo (R$ 38), típico da região andina. Para adoçar, oblea: discos fininhos que viram um “sanduíche” de doce de leite (R$ 8).

R. Lisboa, 971, Pinheiros, tel. 3083-3114.

*

Suri Ceviche & Bar
A casa especializada em ceviche foi, por anos, comandada pelo colombiano Dagoberto Torres. Como herança, ficaram receitas como as arepas, servidas pequeninas, em porção, sob costelinha de porco e guacamole (R$ 27,50) e as costillitas cuira, costelinhas de porco com calda de figo, arroz criollo e mandioca frita, que integram o menu-executivo às sextas (R$ 45).

R. Mateus Grou, 488, Pinheiros, tel. 3034-1763.

 

*

La Gorgona
Nesse misto de bar e restaurante, Oscar Bravo se propõe a apresentar receitas típicas de seu país. Além das arepas, que define como “o pão colombiano”, serve arroz de coco com peixe (R$ 28), que remete ao litoral do país, arroz atollado (R$ 26,90), com carnes e vegetais, e as típicas sopas -a ajiaco, com batatas e guasca (tempero conhecido aqui como picão-branco, erva medicinal), custa R$ 23,50. Para beber, “aguardiente” trazida de lá, que tem um toque de anis, para se tomar em doses. A casa abre para almoço sextas e sábados.

R. São Miguel, 22, Bela Vista, tel. 3256-9215.

*

Los Rolos
Apesar do nome, que faz referência aos nascidos em Bogotá, a cozinheira desse simples restaurante é brasileira. Vera Barbosa aprendeu a cozinhar com a sogra, cozinheira de mão cheia (essa sim colombiana) —e a variada culinária, diz Vera, lhe fez ainda mais sentido do que a nossa. “Meu marido queria levar a cultura colombiana para casa e sem comida não dá.” De seu fogão saem pratos fartos, sempre antecedidos por uma sopa —costume no país, mesmo em dias quentes. E, numa rua que contrasta com sua amorosa comida, serve receitas como huesos de marrano, joelho de porco com mandioca, batata, grão-de-bico cozido, arroz e salada, por apenas R$ 22. As receitas variam diariamente, mas sempre há arepas e patacones, além dos sucos naturais.

R. Guaianases, 70, Campos Elíseos, tel. 98691-1609.

Fonte: MAGÊ FLORES
DE SÃO PAULO
Folha de São Paulo