Poesia, dança e música: O escritor e professor da USP, Felipe Chibás lançou em Cuba “O DESAFIO DE EXISTIR”

0

Teve novos lançamentos e tardes de autógrafos a finais de janeiro e no inicio de fevereiro.

O quinto livro de poesia “O DESAFIO DE EXISTIR -100 poemas de amor e uma canção desesperada” do premiado escritor e poeta cubano Felipe Chibás Ortiz, o 20º livro de sua carreira, já anteriormente apresentado no Brasil, Dessa vez os locais de lançamento foram em Havana, Cuba. No 30 de janeiro na Casa da Música de 31 e 2, no marco do IV Encontro Internacional CULTURA, COMUNICAÇÃO, MARKETING E COMUNIDADE; o primeiro de fevereiro no Callejón del Hamel, sede do projeto sócio-cultural do mesmo nome liderado pelo artista plástico Salvador Gonzalez; o dois desse mês foi apresentado na fortaleza da Cabanha, sede principal da Feria Internacional do livro e o quatro desse mesmo mês a tarde de autógrafos foi no Pabellón Cuba, local direcionado para oferecer opções de lazer, principalmente para a juventude. Em todos estes eventos tiveram ampla presença de público que vibrou com a leitura dos poemas de autoria de Chibás Ortiz.

Teve também a presença de prestigiosos intelectuais de diversos países, como os professores Mitsuru Yanaze e Dorinho Bastos da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo (USP) de Brasil, os escritores cubanos Emilio Comas, Elsie Carbó, assim como do artista plástico Salvador González e a bailarina Grettel Montes de Oca. Esta última interpretou no estilo de dança contemporânea o poema Lenda Pessoal de autoria de Felipe, após o lançamento do livro realizado no IV Encontro Internacional CULTURA, COMUNICAÇÃO, MARKETING E COMUNIDADE. Nessa oportunidade, o Ballet Infantil de Ana Belén Zamora interpretou um pas de deux inspirado no poema O carro interminável, também de Chibás Ortiz. No lançamento realizado no Callejón del Hamel, a banda de música tradicional cubana integrada só por mulheres, Rumba Morena tocou o poema Guaguancó al Parque Trillo, que faz parte do livro agora publicado, assim como outras músicas de sucesso desse estilo musical. O guaguancó é um género musical típico de raiz afrocubana, nascido dos cortiços de Havana. Segundo a Elsie Carbó, reconhecida escritora e jornalista que escreveu a introdução, Felipe Chibás é considerado um dos maiores poetas latino-americanos contemporâneos vivo.

“Dono de um estilo sui generis, de um lirismo inexplicável e uma fina sensualidade característica, que inclui sempre colocar ao final de cada poema hora e data na qual foram realizados, o que agrega uma certa atmosfera de atemporalidade surreal; da mão deste poeta percorrem-se vários caminhos…onde fica plasmada sua universalidade de pensamento e sua raiz original, ainda que na sua lírica assomam poemas dedicados tanto a Maya Angelou (escrito originalmente em inglês e que mostra sua erudição e preocupação com causas sociais), o Antigo Egito, Esparta, Roma, os Beatles, aos amigos, à sensualidade ou a um guaguancó, ..” declara Elsie. O texto do livro está em português e espanhol. Uma das novidades desta publicação é a utilização do QR Code em poemas, por meio do qual o leitor acessará vídeos com performances, danças e declamações inspiradas em sua obra.

A capa é do artista plástico mineiro, Fernando Fiuza. “Estamos vivendo no mundo pós-humano, em que a tecnologia junto com a natureza e os novos processos sociais humanos ocupam cada vez mais as atenções. As tecnologias são úteis para o desenvolvimento. Entretanto, não podemos perder a poesia da nossa vida. A poesia que escrevemos diariamente com a nossa vivência, nossos relacionamentos, nosso dia a dia”, explica Felipe Chibás. Sobre o autor, o poeta, crítico de arte e reconhecido professor da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, Victor Aquino dize no prefacio: “Imagine-se, então, alguém ler esta afirmação ao transpor os umbrais do novo livro de Felipe Chibás Ortiz. Entenderá ao gostar do primeiro poema. Porque é fácil de ler. Porque é muito fácil de gostar. Um poeta contemporâneo, multicultural, sucedâneo de quem nasceu antes dele em Cuba, transnacional de quem escreve como ele no Brasil.” Em uma linguagem própria que inclui sempre colocar ao final de cada poema hora e data na qual foram realizados, com altos valores estéticos, mas ao mesmo tempo comunicativa e accessível, Chibás tenta despertar esta reflexão no leitor por meio de seus poemas, que ultrapassam o tempo e o espaço geográfico, e trazem homenagens às diversas culturas, como a brasileira, cubana, egípcia, romana, maia, asteca, entre outras.

Os interessados em mais informação ou adquirir o livro podem contatar: https://web.facebook.com/desafiodeexistirpoemas/ multioficio.com.br/

Sobre o autor

Felipe Chibás Ortiz, nascido em Havana, mora no Brasil há vários anos. Já escreveu quatro livros de poemas publicados em diversas línguas e países como Cuba, Brasil, México e Canadá: Em quanto tece a aranha sua teia de cristal (1993), Na cintura de Brasil (1997), Lenda Pessoal (1998) e Duas Havanas (1999). Seus poemas têm sido musicalizados e inspirado peças de ballet clássico, dança contemporânea, flamenca e árabe. Também é autor de 15 livros técnicos que abordam assuntos como Criatividade, Inovação, Cultura, Comunicação e Marketing. Entre eles: M@rketing Pessoal.com (2015) e Criatividade, Inovação e empreendedorismo na Era Digital (2017). Professor livre docente, Doutor e Mestre pela Universidade de São Paulo (USP), é também especialista em Marketing Direto pela Universidade Alcalá de Henares, de Espanha, e psicólogo pela Universidade de Havana, leciona na USP, Universidade Presbiteriana Mackenzie e Centro Universitário Drummond.

Serviço Ficha do livro:

Titulo: O DESAFIO DE EXISTIR -100 poemas de amor e uma canção desesperada
Capa: Gravura de Fernando Fiuza
Formato: 7 x 21 Revisão: Elaine Gardinali e Aline Rosique Editora: Multioficio
Número de paginas: 125
Ponto de vendas: site da Multioficio multioficio.com.br
Mais informações: chibas_f@yahoo.es